terça-feira, 20 de setembro de 2016

Raptos de crianças em Portugal - Atenção Pais!

No ano passado houve uma diminuição no número de crianças desaparecidas em Portugal. No entanto, o rapto de crianças tornou-se um negócio e está a correr todo o mundo. Será que os pais estão preparados para esta triste realidade? Um rapto consiste no desaparecimento, neste caso, de uma criança, em que um terceiro sem qualquer consentimento dos pais, desloca a criança para um lugar incerto. Anualmente, mais de 1.500.000 crianças são traficadas em todo o mundo.

Antes de mais, aconselho a visualização deste vídeo:

 


Aparentemente, todos os pais confiam na educação que deram aos seus filhos, no entanto, as crianças são "alvos fáceis". Qualquer doce que lhes seja apresentado ou qualquer animal que lhes desperte a atenção, eles vão agir logo por impulso. Esta situação apresentada no vídeo foi algo planeado, com o intuito de dar a entender aos pais que, realmente, nada é seguro e é muito importante falar com os filhos acerca deste tema e desta realidade. O desaparecimento de um filho é talvez aquilo que, para um pai e para uma mãe, não vem ao pensamento e não é algo discutido. Normalmente todos nós pensamos "só acontece aos outros". Quando uma criança desaparece ou de algum modo é colocada em perigo, um dos sentimentos mais comuns nos pais é a culpa. Culpa por não agirem no momento certo, culpa por terem permitido... A procura de uma explicação para um acontecimento tão trágico, como é o desaparecimento de uma criança, conduz quase que inevitavelmente os pais a sentirem que, de alguma forma, contribuíram para o sucedido.

Como explicar ao meu filho os riscos que corre?

  • Devem ser os pais ou os seus educadores a falar com as crianças sobre a sua segurança pessoal;
  • Tente incutir-lhe sempre um carácter forte;
  • Mantenham-se juntos;
  • Escute-o sempre;
  • Fale abertamente com a criança a propósito das questões básicas de segurança. Isso fará com que ele lhe comece a colocar dúvidas e a interessar-se pelo tema;
  • Não o atemorize com a história dos "estranhos". Normalmente é preciso ter muito mais cuidado com aqueles que a criança ou a família conhecem;
  • Diga ao seu filho que ninguém tem o direito de o forçar a nada e que deve fazer-lhe queixa se alguém o incomodar ou o tentar obrigar a fazer algo que não deseja;
  • Tranquilize o seu filho, dizendo-lhe que a segurança dele é uma prioridade para si.

Como prevenir o rapto?

  • Mantenha-se alerta e saiba sempre onde estão os seus filhos;
  • Mantenha-se atento a mudanças de comportamento do seu filho, pois essas mudanças são um sinal de que deve prestar-lhe atenção e conversar com ele sobre as razões que levaram a essas mudanças;
  • Ensine o seu filho a dizer NÃO caso se sinta incomodado com alguma coisa ou com alguém em particular;
  • Explique ao seu filho que não é correcto que alguém lhe toque de forma que o faça sentir-se incomodado e que de imediato lhe deve dizer se isso acontecer;
  • Esteja atento e controle a utilização da Internet por parte do seu filho menor;
  • Não deixe o seu filho no carro sozinho enquanto vai às compras ou a outro sítio, salvo se do local onde se encontra, conseguir ver e vigiar a criança;
  • Ensine-lhe técnicas de segurança (até mesmo a brincar) e treine com ele para verificar se a aprendizagem está a correr bem.

Prevenir é proteger, defender a criança e, acima de tudo, mantê-la em segurança. Todos os pais e a sociedade em geral devem transmitir a segurança e nunca deixar que, por falta de informação, algo de terrível aconteça. Sendo as crianças seres vulneráveis e facilmente sujeitas a uma série de perigos, devem ser conhecidas regras básicas que conduzam à sua proteção. Afinal, se não formos nós, educadores e pais a protegê-las, mais ninguém o fará.


A todas as crianças desaparecidas e a todos os pais que, atualmente, estão a sofrer por toda esta triste realidade, muita força e coragem. Um beijo com muito amor!

 Cláudia Fernandes 

Sem comentários:

Enviar um comentário