sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Bebés: O choro

Os bebés choram. Todos eles choram. Todas as mamãs e todos os papás sabem que os bebés choram. É impressionante como esta realidade é tão comum mas tão complicada. O impacto do choro apanha qualquer pai ou mãe desprevenido. É também impressionante como, atualmente, a sociedade sabe tão pouco acerca do choro do bebé. O frio, o calor, a fome, a fralda suja, as cólicas são pensamentos que surgem de imediato na mente dos pais quando o bebé chora. O choro do bebé é algo que alerta permanentemente os pais, que os consome e desgasta. 

Normalmente diz-se que o choro do bebé é a única forma de este, se comunicar connosco. Isso não é verdade. O choro é um sinal de alerta e um pedido de ajuda. O bebé é um ser imaturo, que precisa absolutamente de alguém que cuide dele (cuidador) e que não ignore os seus pedidos. Quando os primeiros sinais não são entendidos pelo cuidador, o bebé chora.

O choro do bebé, por vezes, provoca nos pais uma serie de reações: o aumento da pressão sanguínea, o aumento do estado de alerta, etc. O choro é difícil de tolerar e a primeira reação dos pais é agir.

A fome, habitualmente, é a primeira causa que uma mãe e um pai tentam excluir quando o bebé chora. Já ouvimos várias vezes dizer "o bebé deve ter fome", sempre que vemos uma mãe aflita com o choro do filho. Quando um bebé chora, há sempre alguém que opina que a fome é a culpada. É importante salientar que um bebé que chora muito não é, necessariamente, um bebé que chora por causa da fome. O choro da fome é um choro contínuo, apenas interrompido por segundos. Esses sinais, por vezes, são pequenos movimentos com a língua para dentro e para fora da boca e também colocarem os dedinhos na boca. Vai perceber se é fome ou não colocando o bebé na mama. Ele próprio dirá se, de facto, é leite que procura.

Dentro do útero da mãe, o bebé não se apercebia das variações de temperatura, às quais nós estamos habituados. A sensibilidade que cada bebé tem ao frio e ao calor depende de cada um. Os bebés sentem mais variação térmica no momento de vestir, de despir, de sair do banho e estas ações estão associadas ao desconforto do bebé. O importante é tornar esses momentos mais confortáveis para o bebé e assim, reduzem as alterações térmicas mais bruscas.

O choro da dor também é, normalmente, fácil de conhecer. É um choro agudo, repentino e intenso do bebé. É muito fácil de perceber esse choro, principalmente quando recebem as primeiras vacinas. As cólicas também vêm ao pensamento dos pais quando existe este choro de dor. As cólicas nada mais são do que espasmos dolorosos do intestino. Quando existirem estes episódios de cólicas, podemos acalmar o bebé fazendo movimentos circulares na região abdominal. Outra forma, é levar os joelhos à barriga do bebé, não alternando um joelho com o outro, mas sim os dois ao mesmo tempo, com uma pressão contínua.


Beijo grande!

Cláudia Fernandes


Sem comentários:

Enviar um comentário